Não sei quanto aos homens, mas em muitos anos trabalhando como Coach da Woman to Be, ouço discursos muito parecidos das mulheres que não aguentam mais a quantidade de pensamentos perturbadores que não as deixam em Paz!!

Falo daqueles pensamentos ruins, fantasiosos que tomam conta da nossa mente e de vez em quando precisam ser tirados das nossas cabeças para conseguirmos viver bem.

Por que pensamos tanto? E por que muitas vezes criamos verdades que nos afastam da alegria e da plenitude?

Hoje resolvi escrever sobre isso, pois está na hora de reavaliarmos a qualidade dos nossos pensamentos, que por um acaso somos nós mesmas que criamos!

Vou exemplificar uma situação comum para podermos refletir melhor sobre isso.

Uma mulher, casada há sete anos, procurou-me para fazer coaching de relacionamento, pois queria descobrir se ela deveria ou não se separar do marido pois estava muito desconfiada de que ele não a amava mais.

No nosso primeiro encontro, ela me parecia muito angustiada com uma fala acelerada, um pouco confusa, querendo me contar muitas coisas e situações que supostamente comprovariam que ela tinha toda razão: que seu marido não a amava mais! Com calma e cautela, comecei a fazer perguntas, para que ela pudesse respirar e se ouvir!

Aquela mulher fora criada com muita liberdade pelos seus pais, sempre teve conversas sobre sexo, tinha muito prazer pelo ato, e já tinha tido algumas experiências sexuais! Resumindo, ela gostava muito de ter uma vida sexual bem ativa, e não foi diferente quando se casou.

Na sua percepção, durante alguns anos, foi correspondida e com seu parceiro teve as melhores experiências sexuais. Tudo parecia muito bem, até que chegou um dia em que ela chegou em casa, fogosa, tentando seduzir o marido para terem mais uma noite de muito amor, e ele a surpreendeu e disse: “Amor, hoje eu não estou com vontade”. Esta frase foi o suficiente para gerar um enorme fantasma mental na cabeça daquela mulher: para ela, o marido não aguentava mais viver com ela.

A partir de então começou a criar verdades na sua cabeça, e fazer coisas estranhas: coisas que nunca havia feito: falar alto, gritar com o marido, entre outras coisas.

Ao longo das sessões de coaching, ficou claro como aquela frase mal entendida do marido foi capaz de criar tantas mudanças de atitudes e comportamentos negativos para a relação, dificultando ainda mais o entendimento e a comunicação entre eles. Quanto mais ela se comportava mal, o agredia, mais o marido a estranhava e procurava se afastar dela. Criou-se um círculo vicioso muito prejudicial para o casal!

Observando o que ocorreu com ela, e que ocorre com muitas de nós, vejo que se não dermos um basta em nossas fantasias negativas, acabamos seguindo os passos abaixo:

  1. Por conta de uma frase ou um comportamento isolado, criamos e deduzimos algo como verdade absoluta – e normalmente sempre algo contra nós mesmas: “Ele não quis transar comigo, logo não me ama mais”;
  2. Como esse pensamento começa a ficar repetitivo, entramos no ciclo vicioso negativo: penso sobre isso, que me gera uma emoção negativa, que por sua vez se transforma em uma ação negativa e aí o resultado só pode ser negativo:

Pensamento: ”Ele não me ama mais”

Emoção: “Tristeza, raiva, me sinto abandonada”

Ação: “Tratá- lo mal, agredí-lo”

Resultado: “Afastar o marido”

  1. A fantasia se concretiza: Como a ação dela é muito ruim contra o marido, ele de fato se afasta e começa a questionar o amor por ela;
  2. Falta de autenticidade: Ela passa a não ser mais ela, fica com medo de perder de vez seu marido e começa entrar na etapa do jogo;
  3. Sentimentos muito negativos: A sensação de angústia, medo e ansiedade aumenta significativamente, dando a impressão de que não tem como resolver esse problema.

Ainda bem que através do processo de coaching, com as provocações construtivas, as pessoas podem perceber e recordar, que na maioria das vezes, foi só uma fantasia e um mal entendido!!!

Por isso, para você que está lendo, eu pergunto:

Qual é o pensamento que precisa ser tirado de sua mente, para poder viver mais leve e melhor?

Comece a se questionar no passo 1 para evitar passar por todo esse ciclo vicioso e negativo!

Pin It on Pinterest

Share This