Quem nunca ouviu ou pronunciou essas palavras? Atualmente, inúmeras mulheres se queixam de não conseguirem encontrar um parceiro fixo.

É muito comum conhecerem um homem que parece ser bacana. Trocam telefones e começa o flerte. Mensagem daqui, mensagem dali, os dois se adicionam nas redes sociais (um fuça a página do outro para descobrir a ficha do seu alvo) e finalmente, saem para se conhecer melhor. O primeiro encontro é maravilhoso. UAU. Que moço bacana! Educado, atencioso, gosta de ouvir o que tenho a dizer (finalmente um homem que não fica falando de si), se interessa por mim.

Como não ficar empolgada? O tempo vai passando e a coisa toda se torna cada vez melhor. As mensagens ficam mais frequentes e os encontros também. As conversas se tornam um pouco mais profundas, vocês trocam detalhes das suas vidas particulares e até comentam problemas e trocam sugestões sobre como enfrentá-los. Pequenos planos começam a ser feitos. Ele te convida para um evento social importante, para passar um final de semana juntos e até para conhecer a família. Você sente como se tivesse uma colônia de borboletas morando na sua barriga.

Aí, você pensa: Opa! Agora vai! Estamos namorando! Perde o sono imaginando vocês dois e fazendo mil planos na sua cabeça. Chega até a se imaginar com ele lá na frente, os dois bem velhinhos, lembrando o dia em que se conheceram e dando risada.

Eis que um belo dia, do nada, o moço some. Não liga mais, não curte mais nada que você posta. Você se sente vítima do velho golpe: “foi comprar cigarro e nunca mais voltou”. Você fica totalmente perdida, sem rumo. Sem entender nada. Como assim? Até dois dias atrás estava tudo ótimo. O que aconteceu?

Segundo os homens, muitas vezes isso se deve a dois motivos. No primeiro caso, a coisa começou a ficar séria demais e eles não estão afim de um relacionamento sério. O outro motivo seria nada mais nada menos do que eles terem percebido, ao longo da curta convivência, que a mulher começou a dar sinais de comportamentos semelhantes aos de alguma ex que os traumatizou no passado (e haja homem traumatizado).

Os homens, ao contrário das mulheres, são mais objetivos e conseguem separar melhor razão de emoção. Se a razão falar mais alto (ainda que exista carinho ou sentimento pela mulher), o relacionamento terá chegado ao fim. Foi bom enquanto durou. Próxima! Eles não perdem tempo tentando se convencer se estão tomando a decisão correta ou não. Simplesmente tomam a decisão e, se eventualmente se arrependerem, tentam reconquistar a mulher.   

Seja qual for o motivo, no entendimento masculino, o sumiço por si só dá o recado. Não é nada pessoal com a mulher, dizem eles. Apenas não vêem motivo para dar explicação, já que a ausência de contato já indica a decisão deles. Quanto mais contato, mais difícil se desvencilhar da mulher, pois ela poderá achar que estão dando esperanças. Claro que há casos em que eles topam conversar e explicar os motivos do rompimento, mas na maioria das vezes, eles evitam essa conversa, pois gera desconforto.

O que fazer se isso acontecer? Perguntas como:  “será que pesei?” “fui intensa demais?” “será que fui muito disponível?” começam a passar pela nossa cabeça.  Pense, pondere e assuma a sua eventual parcela de responsabilidade no rompimento, mas não crie fantasmas, nem fique se autoflagelando sem parar.

Acima de tudo, verifique se o homem estava alinhado com você, com seus valores. Quanto melhor você se conhecer, melhor conseguirá identificar isso. Talvez chegue à conclusão de que realmente, essa relação não daria certo no longo prazo. Pode também ser que você acredite que ele era totalmente alinhado com você e ficar triste por não ter vingado. Mas acredite, se não deu certo, é porque ele não estava 100% alinhado com você ou os objetivos do momento não eram os mesmos. E essa conta chegaria. Antes cedo do que tarde!

O ponto crucial é não transformar esse “não ter dado certo” em uma crença limitante. Não deu certo com esse homem? Paciência. Pode dar certo com o próximo. É primordial você conhecer suas qualidades (assim como seus defeitos) para que saiba como usá-las numa próxima relação. Veja que qualidades você usou para atrair esse homem e veja quais defeitos podem ter aflorado que possam tê-lo afastado. Faça um lembrete para si mesma e para, da próxima vez, evitar deixar que esses defeitos aflorem. Claro que ninguém é perfeita, mas não precisa ficar reclamando da vida o tempo todo, falando mal dos outros ou atrasando uma hora toda vez que marcar um programa. Certos defeitos são absolutamente contornáveis e podem ser evitados, se prestarmos um pouco de atenção.

Por isso é tão importante nos conhecermos e termos consciência das nossas forças e fraquezas internas. Quanto melhor soubermos quais são, mais conseguiremos potencializar forças e minimizar fraquezas e maiores as chances de fazer uma relação dar certo!

 

Pin It on Pinterest

Share This